Dormir bem é essencial para permanecer saudáveis, já que o nosso corpo precisa de descanso de forma correta as noites para contar com o nível de energia suficiente para enfrentar o dia. Além disso, dormir o necessário para nos ajudar a pensar de forma clara, reagir rápido e assentar a nossa memória. Há que ter em conta que não só importa a quantidade de tempo que dormimos, mas também da qualidade do sono. Embora se costumam recomendar entre sete e oito horas por dia, este número varia em função da pessoa. Em qualquer caso, o sono é fundamental para manter um bom estado de saúde. Apesar disso, muitas pessoas não prestam a atenção devida e dormem muito menos tempo do que o recomendado, e isso, a longo prazo, tem consequências negativas para o organismo. O estresse, a presença de doenças, a dor, a dieta, certos medicamentos ou distúrbios dos ritmos circadianos podem provocar insônia, que é um dos transtornos mais comuns de nossa sociedade. Este distúrbio do sono é definida como a incapacidade para conciliar ou manter o sono de forma adequada de acordo com as necessidades da casa do sujeito. O insomio acarreta uma série de sintomas como fadiga, diminuição do estado de alerta, sonolência, diminuição do desempenho, dores musculares, depressão, alterações do estado emocional e pouca concentração. Se estes sintomas se prolongam no tempo, há que recorrer ao médico para que avalie nosso caso, determinar as causas e nos ponha um tratamento. Não se deve deixar passar o tempo sem tratar estes problemas de sono, a insônia pode se tornar crônica, o que aumenta o risco de sofrer uma morte prematura. Não há que esquecer que, embora a necessidade de sono de acordo muda de acordo com a idade, dormir mal e acordar cansado de forma habitual, não faz parte do envelhecimento normal de uma pessoa, por isso não se deve nunca tomar a sério esse transtorno. Para evitar a ocorrência de insônia e conseguir dormir dormir melhor à noite, podem-se seguir uma série de dicas simples: – Deitar-se todos os dias mais ou menos à mesma hora. – Não realizar exercício ou esporte, logo antes de deitar. É preferível que passe pelo menos três horas entre o exercício e o momento em que vamos para a cama. – Fazer refeições ligeiras ao jantar, já que uma refeição com alto teor de gordura ou muito copiosa provoca uma digestão pesada, o que pode dificultar que alcançamos o sonho. – Eliminar, ou ao menos reduzir, o consumo de cafeína e tabaco já que podem dificultar o sono. – Embora nos acostemos mais tarde, há que tentar dormir o mesmo número de horas no fim de semana que o resto dos dias a fim de não alterar os ritmos biológicos. – Toma vitaminas e minerais, já que alguns distúrbios do sono são causados por baixos níveis de vitamina B, cálcio, cobre, ferro, zinco e magnésio. – Aprender técnicas de relaxamento e respiração profunda nos facilitará que conciliemos o sono. – Se não conseguir dormir depois de meia hora, o melhor é levantar-se da cama, não obsesionarte e voltar a ele quando voltar a sentir sono.